Produzir a própria cerveja artesanal é muito recompensador. Mas não é das atividades mais fáceis. Acertar a mão na hora de prepará-la depende de muitos fatores: a gradação ideal dos insumos, ter paciência para esperar a fermentação e, principalmente, atenção e cuidado.

Uma má recirculação afeta o sabor do mosto em todas as etapas do processo, um resfriamento muito demorado, pouca atenção na densidade de açúcares, uma temperatura inadequada para fermentar… Tudo isso pode causar um efeito desagradável ao final do trabalho.

Por sorte, há diversos equipamentos no mercado capazes de facilitar a vida do cervejeiro e aumentar sua autonomia para ganhar tempo e qualidade durante o preparo. Se quiser conhecê-los e saber mais sobre o assunto, continue com a gente até o final deste post!

Conheça os equipamentos que vão te ajudar com a sua produção!

Vamos começar com o momento de selecionar os insumos… Cada variedade de cerveja depende de um tipo especial de malte, fermentos e lúpulos. O que faz as características de cada estilo é uma gradação selecionada de insumos.

Nem sempre é fácil encontrar um tipo específico. Uma APA muito amarga acaba não sendo tão diferente de uma IPA, uma Red Ale fraca, de maltes caramelizados, pode se parecer muito com uma Lager.

cervejas produzidas com kit de insumos

Vale a pena, na dúvida, e caso ainda esteja iniciando, apostar nos kits de insumos, que já vêm preparados com a gradação e os insumos ideais para dar as propriedades principais que tornam aquele tipo de cerveja inconfundível!

Etapas do processo…

Uma das fases que faz muita diferença na leveza, na viscosidade e na cor da cerveja é a etapa de clarificação!

Nem todos os cervejeiros iniciantes optam por um recirculado, e trabalhar com escumadeiras pede muita precisão e atenção. Para facilitar a separação do grosso da primeira fervura do mosto, um fundo falso e uma bazooka são essenciais. Eles possuem um custo bem mais acessível e garantem um trabalho exato de clarificação.

Pensando ainda nas primeiras etapas do preparo, é difícil dizer, exatamente, quando o volume de açúcares já foi bem separado do malte.  Muitas vezes a altura do fogo e a água turva nos fazem acreditar que é o momento ideal para partir para a próxima etapa. Durante a fermentação, também, podemos confiar apenas no tempo ao invés do trabalho químico. Para ambas as etapas, um densímetro é a melhor opção para se ter um trabalho químico efetivo do mosto.

fermentador conico da indupropil em um contexto de lar

O resfriamento do mosto precisa ser rápido. Não é recomendado baixar subitamente a temperatura e tubos com glicol podem causar contaminações, por mais que o plástico seja atóxico. Por isso, invista em um chiller que, além de baratear o processo, é muito mais simples de ser sanitizado e higiênico.

O fogão convencional nem sempre é capaz de distribuir uniformemente o calor, as bocas geralmente são pequenas para panelas com volumes maiores. Um brewstand ou fogareiro específico para a produção de cerveja dará muito mais confiança na sua preparação.

brewstand da indupropil para produção de cerveja

Como o mosto tem uma tendência grande de absorver todos os componentes, não é a melhor ideia manipular sua cerveja com os utensílio do dia a dia. Tenha uma pá específica só para manusear a bebida.

Se você pensa em produzir cervejas Lager, deve estar ciente que a temperatura para a fermentação tem de ser baixa para permitir um trabalho lento do mosto, mas sem impedir que ele se movimente.  Evite temperaturas muito baixas que possam afetar a mistura.

Não adianta simplesmente esquecer o fermentador na geladeira. As Lagers são muito mais sensíveis a off-flavours, por serem menos aromáticas.

Assim, automatizar esse processo pode ajudar muito a sua produção. Um sistema de quadro de comando fará toda diferença. Com ele, você determina a temperatura na qual as válvulas solenoides irão distribuir o glicol para manter a temperatura ideal para fermentação.

Outro off-flavour comum na produção de cervejas artesanais é o excesso de trub no mosto, especialmente no caso das Ales mais aromáticas. Aquele sabor adstringente e gramíneo é capaz de arruinar a produção. Para lidar com esse problema, a dica é ter um fermentador de fundo cônico, pois todo o sedimento fica acumulado em uma parte do reservatório, evitando que o excesso de trub passe do ponto.

As tecnologias atuais facilitam muito a vida do cervejeiro! Agregando essas ferramentas à sua produção você terá um resultado final bastante satisfatório. E a Vinho e Cerveja em Casa tem todos os equipamentos para você ganhar tempo e qualidade! Não deixe de conferir cada um deles!

Para saber mais sobre o mundo das bebidas artesanais, assine nossa newsletter e receba tudo em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *