Qual é a origem da cerveja? Você já se fez essa pergunta? Na verdade, os historiadores costumam afirmar que ela não foi criada, mas sim descoberta. E ao contrário do que muitos pensam, ela não surgiu na Alemanha, no século XIX. 

Essa história se inicia na Mesopotâmia, em meados de 9000 a.C. Segundo os especialistas, tudo começou quando um homem que há tempos vivia como nômade resolveu se instalar de forma fixa na Suméria. 

Para que pudesse sobreviver, ele começou a cultivar grãos e estocá-los para uso posterior. Isso pode parecer algo comum, porém, na época, representou o início dos campos de agricultura daquela região. 

É nesse sentido que a origem da cerveja artesanal se mistura com o início do cultivo de grãos e o surgimento dos primeiros grupos de agricultores da história. No entanto, vale a pena lembrar que existem diversas especulações sobre quando realmente a bebida foi produzida pela primeira vez. 

A cevada e o processo de fermentação natural 

Os açúcares ou alimentos que contenham amido, na maioria das vezes, podem sofrer fermentação natural. Sendo assim, quando o homem iniciou o cultivo de grãos de cevada e os estocou, sem pretensão, ele criou condições para o desenvolvimento da cerveja. 

Isso porque, provavelmente, a infiltração das águas da chuva e a umidade acabaram por estabelecer os padrões necessários para que a cevada pudesse ser fermentada. Claramente esse processo não aconteceu do dia para noite, mas foi tomando lugar com o tempo. 

Leia mais: Quais são os tipos de fermentadores da cerveja? 

Outro fator que pode ter influenciado o início desse processo, é que na época os cereais não tinham como ser triturados, por isso isso, eles eram esmagados e depois imersos na água, o consumo era realizado muito tempo depois. 

O resultado da ação química, nos dois casos, despertou a atenção de agricultores que começaram a experimental a preparação do malte de forma mais rígida, a fim de conhecê-lo, antes de ser denominada cerveja, ela chegou a ser chamada de pão líquido, pela semelhança de ingredientes.

Foi difícil para que o homem antigo conseguisse replicar o processo de produção da cerveja de forma programada. Aos poucos, eles transformaram a bebida em algo envolto em uma aura mística, pois essa fermentação era realizada de forma natural (dada pelos deuses).

Existe uma peça suméria, uma pedra trabalhada manualmente, que através de desenhos mostra a cerveja em seu processo de produção e, posteriormente, sendo oferecida à deusa Nin-Harra. A peça se chama Monumento Blau e data de 4000 a.C.

Após sua consolidação e com o passar dos anos, a produção da cerveja em pequena escala se tornou uma realidade. Ainda segundo os historiadores, centenas de anos depois, cerca de 40% da produção da cevada era destinada à fabricação da cerveja. 

Nesse período, o nome de batismo da bebida foi mudado para  “Cerevesia”, uma homenagem à Ceres, a deusa dos grãos que brotam. Fica clara a derivação desse termo na palavra que temos hoje, não é mesmo? 

As primeiras cervejas eram parecidas com as nossas? 

Na verdade, a cerveja nesse período era muito diferente do que conhecemos hoje. Principalmente nos primórdios e fases de descoberta. Isso porque, sua finalidade era diferente. 

Enquanto hoje temos a cerveja presente nos happy hour, momentos de descanso, relaxamento ou de festa, na época a bebida era considerada um alimento. Ela começou a fazer parte da dieta como algo nutritivo e básico. 

Essa cultura era tão forte que, no Egito, por muito tempo a bebida foi utilizada como uma forma de pagamento. Trabalhadores braçais, no final do dia, recebiam uma dose de cerveja como pagamento. 

É claro que o teor alcoólico da bebida, naquela época, era quase nulo. Bem mais baixo que as cervejas que consumimos atualmente.  Quando a produção da cerveja começou a acontecer de forma programada e não espontaneamente, os sabores começaram a ser trabalhados. 

Mas, ainda assim, aquela cerveja era bem diferente. Ela possuía um aspecto escuro e também era muito forte. Como não era devidamente produzida, nem armazenada, ficava sujeita a diversos tipos de contaminação. 

Por isso, a cerveja foi a causa para muitas doenças da população. Encontramos o primeiro registro público da bebida datado em 1770 a.C. O Código de Hamurabi determinava pena de morte para pessoas que diluíssem a cerveja e vendesse. Imagina? 

Da cevada ao Lúpulo: a evolução da cerveja 

Já na idade média o homem passou a usar o lúpulo como um dos ingrediente da cerveja. No entanto, a verdadeira expansão da cerveja se deu, de fato, pelo império romano que a levou pelos mais diferentes continentes.

Foi através deles que a cerveja chegou até a França, em Gália, e por lá tivemos o surgimento de uma nova versão da “cerevesia”. Já no século I d.C, em 768, surgiu a primeira cervejaria de grande porte, que ficava no Mosteiro Beneditino Weihenstephan, na Bavária.

De forma simultânea, a bebida também já era desenvolvida por alemães, irlandeses, holandeses e ingleses. O que justifica a força que esses países detêm sobre a produção de cerveja artesanal até os dias de hoje. 

O processo de produção dos insumos, os sabores, as diferenças de textura e tudo mais, começou a surgir aos poucos, até chegarmos ao que temos hoje: uma variedade de opções de insumos para produção de cerveja, que podem agradar diferentes gostos. 

Que tal iniciar a produção da sua cerveja artesanal? Deixe seus passos registrados na história da produção de cervejas com a ajuda a Indupropil. Somos apaixonados por cerveja, e nosso prazer é te tornar um produtor. Conheça nossa loja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *