A harmonização gastronômica é um assunto que rende muitos debates e estudos por parte dos especialistas e apaixonados.

O paladar dos entusiastas do vinho clama por experiências únicas e o vinho, como bebida única e amada por toda a história da humanidade, é um dos protagonistas de muitas dessas experiências.

Separamos uma lista de combinações que certamente você irá adorar tentar na próxima vez que for preparar um prato especial ou sair para jantar fora. Confira!

 

Vinho Tinto 

O tipo mais popular, dentre os vinhos de uvas vinícolas, ou seja, especiais para a produção de vinhos finos, os tintos secos são a opção mais comum, pois além da grande variedade, possui um sabor que se combina muito bem com itens comuns da nossa culinária e da culinária universal.

Graças à sua acidez, o vinho tinto reage muito bem com comidas com alta concentração de carboidratos e também com carnes mais gordurosas – assim como queijos amarelos.

Não que os vinhos tintos suaves sejam apenas vinhos de sobremesa ou de qualidade inferior. Acontece que sua alta concentração de açúcar pode interferir na capacidade gustativa e aromática. Mas são ótimos após as refeições, especialmente junto de acompanhamentos doces.

As massas também combinam muito bem o vinho tinto, especialmente se acompanhadas com outros molhos e condimentos ácidos, como as macarronadas clássicas, pratos com queijo, tomate.

 

Vinhos Brancos 

O vinho branco tem um período menor de maturação, o que o confere um sabor mais suave e palatável para aqueles que ainda estão se introduzindo no mundo dos vinhos.

Para essa categoria fica a harmonização com alimentos menos gordurosos, carnes brancas, como a do peixe e do frango e pratos com acompanhamentos cremosos ou legumes.

Frutos do mar também são ideais para serem acompanhados pelo vinho branco. Sopas, alimentos mais leves e de sabor suave, que muitas vezes não recebem muita condimentação e nem são de difícil digestão.

Cereais, como o arroz, que na cozinha japonesa, por exemplo, vem acompanhado de frutos do mar, nori e legumes também são uma boa escolha. Mas não é possível colocar toda a cozinha oriental na mesma taça; yakissoba, harumaki, e outros pratos que, apesar de produzidos com legumes e carnes leves são fortemente condimentados combinam com a acidez e a sensação dos vinhos tintos.

 

Vinhos Rosé 

Em termos gerais, talvez seja justo classificar o Rosé como aquele vinho intermediário entre o tinto e o branco, afinal, ele tem a maturação um pouco mais longa que a do branco, mas menor que a do vinho tinto.

São vinhos tintos mais “jovens”, com mais frescor, uma etapa na construção do paladar dos vinhos. Até por isso costumam tradicionalmente substituir os vinhos tintos durante o verão e épocas de calor.

O Rosé é capaz de fazer as vezes do vinho tinto em muitas situações, mas, se fossemos elencar combinações adequadas para ele, seria sábio dizer que interage com alimentos similares aos do Tinto mas com acompanhamentos e condimentações mais suaves, como os molhos brancos na macarronada, queijos magros, cortes menos gordurosos e condimentados, comidas menos picantes.

Os vinhos Rosé ornam de uma forma interessante com muitos pratos do Oriente Médio, por exemplo, que apesar de bem condimentados, são suaves e misturam muitas vezes plantas aromáticas de forma sutil, têm cremes e massas bem menos densas.

 

Suaves e Espumantes 

Como já citado, os vinhos suaves não são apenas “vinhos inferiores”, pelo contrário, são ótimos após as refeições e junto de sobremesas.

Os espumantes também fazem às vezes de vinhos de sobremesa, de brinde e até de entrada, especialmente aqueles que tem um teor de açúcar controlado. São vinhos versáteis e muito palatáveis.

 

Certamente que o melhor vinho é aquele do qual você sente mais prazer tomando, mas a grande variedade guarda muitas experiências incríveis para seu paladar, que pode ser treinado e certamente te dará muito prazer ao conhecer combinações únicas, feitas com requinte e pensadas para a degustação, levando sua experiência gastronômica a outros níveis.

Na medida em que treina seu paladar, dificilmente irá se contentar com as mesmas combinações simples e básicas outra vez. O universo da gastronomia é repleto de surpresas das quais seu paladar só tem a agradecer!

Leia mais sobre produção e cultura de vinhos no portal Vinhos E Cerveja Em Casa, da Indupropil.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *