O número de apreciadores de uma boa cerveja produzida fora do circuito das grandes cervejarias tem crescido exponencialmente. Cada vez mais estabelecimentos estão apostando nas produções independentes do mainstream cervejeiro e o mercado vive uma ebulição de rótulos e sabores novos. O conceito evoluiu, tomou o gosto dos bebedores casuais de cerveja que buscam por novas experiências e ambientes.

Se você quer começar sua cervejaria artesanal e não sabe como fazer isso, separamos algumas dicas bacanas – que vão fazer toda a diferença para o seu novo negócio. Confira!

Estude seu público alvo

Se você está considerando começar como cervejeiro e distribuidor, é fundamental fazer uma boa prospecção de mercado.

Comece por sua cidade e as cidades vizinhas. Se você já é um fã de cerveja e conhece os ambientes e sua comunidade, uma parte da etapa está dada. Mas não fique na zona de conforto: busque outros ambientes, grupos de redes sociais, converse com administradores, cervejeiros de outras regiões, crie um pequeno networking que dê um horizonte inicial para seu empreendimento.

Cervejarias especializadas criam seu status e notoriedade especialmente por possuírem uma grande diversidade. Seu branding e o fato de ser um produtor regional certamente irá aumentar o interesse dos consumidores. Capriche na embalagem e não deixe de explicar as origens e o propósito de seu produto.

 

Aposte em estabelecimentos tradicionais também. Bares que costumam servir apenas os grandes distribuidores muitas vezes gostariam de diversificar seus produtos.

Você pode introduzir seu produto de forma experimental, deixar na mão do barista o marketing efetivo dentro do bar.  Dialogue, faça um pequeno experimento sem projeções arriscadas. Pode ser que nasça um conceito de sucesso dessa parceria.

Outros ambientes de apreciação de cerveja têm proliferado, como barbearias, moto-clubs, lounges e conveniências. Seu público é bastante receptivo à novidades e tem muitas conexões para avaliar e fazer um marketing pessoal.

Pesquise sobre técnicas e sabores

Pra começar, selecione seu tipo favorito de cerveja, aquela da qual conhece bem e gosta de beber sempre. Uma dica interessante é começar por uma Ale, uma American Pale Ale que é uma cerveja palatável para todos os gostos, mais simples de produzir é uma ótima opção.

Comece produzindo aos poucos, com o auxílio de uma tabela de gradação, use o menor IBU (índice de amargor das cervejas) recomendado, evite água de torneira e não exagere nos ingredientes – use a recomendação mínimo da tabela.

A ideia é ir pegando o jeito e gradualmente ir implementando suas receitas. Para vencer a ansiedade de início, dê prioridade a curtos períodos de fermentação. Ofereça aos amigos, esteja aberto a opiniões.

Muitas etapas podem influenciar o sabor de sua cerveja, assim como as técnicas e os materiais.

A brassagem, a moagem dos grãos, a filtragem. Todos esses processos podem ser feitos de formas particulares para atingir uma propriedade. Por exemplo, ao moer em excesso a casca dos grãos, você tornará a cerveja mais adstringente, aquela sensação de “amarrar” a boca.

cerveja artesanal

A forma como se prepara cada tipo também terá algumas particularidades, tempos e técnicas específicas. Cervejas de trigo, por exemplo, necessitam de etapas extras, outras de mais tempo de fermentação.

O sabor estará fortemente relacionado à gradação dos ingredientes, mas também é possível alterar seu aroma de formas muito criativas e, no geral, é isso que dá destaque a uma produção. Há uma variedade de cervejas com aromas muito criativos, de frutas à café.

Um bom motivo para começar com o básico e ir experimentando é que você será capaz de identificar a diferença que um ingrediente aromático fará e será capaz de graduá-lo melhor, evitando desperdiçar uma produção inteira e horas de trabalho.

Escolha bons equipamentos

Seja para produzir para você e os amigos, seja profissionalmente, a escolha dos equipamentos, sem dúvida, será a primeira e uma das mais cruciais etapas de sua jornada como cervejeiro.

Por mais que sua técnica se aprimore e você se reinvente, estará sempre dependente e restrito à qualidade de suas ferramentas. Imagine que, ao ferver a água para adicionar os ingredientes, você a torna suscetível às propriedades em contato com ela.

Ainda maior que o risco de produzir cervejas ruins é o de contrair uma intoxicação por material oxidado ou inadequado. Não improvise equipamentos e evite compra-los usados – você não será capaz de constatar o uso e sua procedência.

Materiais para produzir bebidas e alimentos devem ser novos, vistoriados e muito bem cuidados, higienizados e esterilizados. Se você quer produzir cerveja em casa com qualidade e legalidade, não corra o risco. Um processo por descumprir determinações de saúde podem ser um golpe desestimulador em sua jornada.

No  Vinho & Cerveja Em Casa você encontra todo o equipamento necessário para sua cervejaria artesanal,  não deixe de conferir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *