Aqui no blog Indupropil estamos sempre falando de um dos nossos empreendimentos favoritos, as cervejarias artesanais, e suas mil maneiras de implementação. Já tratamos da estrutura necessária, diversos aspectos técnicos da confecção da cerveja e algumas estratégias de branding. Faltou falar do básico: por onde começar uma mini-cervejaria artesanal.

No post de hoje, apresentamos um passo a passo claro e intuitivo que facilitará sua tomada de decisão e te ajudará a finalmente colocar seu projeto em prática. Fique com a gente e acompanhe as dicas!  

1. Antes de tudo: planejamento!

Se já decidiu por montar sua cervejaria, deve vir de uma pesquisa prévia bastante avançada do mercado de cerveja. De qualquer forma, o primeiro passo objetivo do seu projeto deve ser a busca especializada de informações técnicas e um extensivo planejamento do negócio. Essa é a maneira mais segura de começar e pode evitar grandes prejuízos e retrabalhos mais a frente.

Inicie sua pesquisa e planejamento pelo orçamento. Analise o caixa disponível para investimentos e planeje seu negócio a partir dele. Quer um manual completo sobre os investimentos necessários para começar? Dê uma olhada em nosso post “Qual o investimento para abrir uma micro-cervejaria”.

O assunto de pesquisa que mais economiza dores de cabeça futuras são as especificações de segurança e infraestrutura para produção de cerveja. Cada estado e município possui regras próprias que costumam ser as mesmas para empreendimentos de produção e consumo de outros alimentos e bebidas. Estude bem esses aspectos previamente e prepare seus planos para atender a todas as exigências.

2. Tenha claros os fatores localização e infraestrutura

Verificar muito bem as condições legais e físicas do local escolhido para sua cervejaria é imprescindível. Aqui, o primeiro item a ser checado é a permissão da prefeitura para realização da atividade pretendida no local específico.

Além disso, você deverá se certificar de que este local tem infraestrutura básica para atender a todas as exigências das quais tomou conhecimento no tópico anterior. Faça as seguintes questões: há espaço de qualidade para armazenar os insumos e equipamentos? Fatores como fiação elétrica e encanamento são adequados? Quais são as facilidades e dificuldades de escoamento da produção?

Ainda, este é o momento para pensar melhor nas características do seu produto: quais as especificidades que ele exigirá? Vai optar por ingredientes especiais para criar um diferencial ao seu negócio? Sua cervejaria será conjugada a um bar ou restaurante? Pretende produzir em ambiente exclusivo para distribuição local? Todas essas são decisões importantes e, nesse processo, vale consultar um especialista ou empresário experiente do ramo. Não exite em pedir por informações! 

3. Garanta os equipamentos necessários

Os tipos e dimensões dos equipamentos necessários variam muito de acordo com as características da sua cervejaria, e seria impossível fornecer indicações certeiras para todos os casos. De modo geral, porém, uma mini-cervejaria necessita dos seguintes itens básicos:

tabela de itens para cervejeira

Há, ainda, que se considerar os equipamentos de envase e produção das embalagens, além da logística para armazenamento e escoamento. Para otimizar seus investimentos, é possível adquirir equipamentos, acessórios e insumos em kits – uma ótima maneira de iniciar a produção em pequena escala. 

4. Cuide da formalização

Se realizou sua pesquisa e planejamento iniciais, estará com tudo pronto para a fase de formalização do seu negócio. Sua infraestrutura e equipamentos devem estar prontos e de acordo com as exigências da secretaria de saúde.

O procedimento legal inicial dessa fase é o registro do CNPJ e, para isso, cada município possui suas especificações próprias. Feito o registro em sua prefeitura, você deverá regularizar sua cervejaria no MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para que possa comercializar e produzir cervejas.

Para este registro, precisará mostrar uma série de documentos que inclui alvará de funcionamento, projeto, memorial das instalações, manual de boas práticas e laudos técnicos que comprovam a qualidade de água utilizada, entre outros. Formalizado o requerimento, uma visita de vistoria será marcada em suas instalações.  

Mais um procedimento necessário é o registro de produto, que não necessariamente deve ser feito por último. Nessa etapa, o fabricante fornece ao MAPA a receita da cerveja com todos os processos, componentes, porcentagens, aditivos e demais informações de produção. Essas informações são sigilosas e não poderão ser divulgadas pelo órgão. 

5. Trabalhe o branding

O consumidor de cervejas especiais busca por um cuidado e exclusividade que não encontra no mercado tradicional de bebidas industrializadas. Para oferecer isso, além de focar na qualidade do produto em si, trabalhe um branding interessante que comunique a personalidade de sua bebida e mostre ao mundo porque é chamada de cerveja especial!

São muito relevantes fatores como o nome da cerveja e toda a sua comunicação visual. Isso compreende a embalagem, a arte exclusiva e original que identifique a marca, sua presença nos meios de comunicação e a coesão entre as informações passadas por todos os aspectos do produto.  

Sabemos que ainda há muito pra falar sobre sua marca. Por isso, preparamos um post incrível e atualizado sobre como criar uma marca para sua cervejaria. Acesse e confira já!

Uma das dicas mais valiosas para qualquer empreendedor é manter-se atualizado das tecnologias e tendências do mercado – em especial para negócios do universo cervejeiro, que é especialmente dinâmico. Para ficar por dentro de tudo, não perca os novos posts do blog!

Tem dúvidas ou sugestões? Conte pra gente nos comentários, respondemos todos. Até a próxima, empreendedor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *