As formalidades de beber uma boa cerveja artesanal não estão completas sem um bom aperitivo. E os melhores petiscos para combinar com cervejas artesanais são aqueles que têm ingredientes e sabores que cortam, contrastam ou se assemelham às propriedades da cerveja, de forma que ambos tornem-se agradáveis e se complementem.

Através do corte, há elementos da cerveja que neutralizam aspectos da comida para que ela tenha o sabor realçado, como quando cervejas de alta carbonatação “lavam” a camada de gordura de uma carne, permitindo a apreciação de outras nuances da carne.

Ao contrastar dois sabores, as características de ambos ficam evidentes, como ao beber uma IPA amarga enquanto se come um chilli bem apimentado. O sabor extremo deles não é neutralizado, pelo contrário, é prolongado. Vale a pena experimentar, viu!

Na semelhança de sabores, as características se complementam, intensificando um mesmo tipo de paladar. Por exemplo, a união de cervejas Weiss com massas densas, como a do pão. O sabor, o peso e a acidez ou doçura da bebida e do petisco causam um senso mais homogêneo de sabor.

Conheça alguns dos conceitos essenciais de harmonização:

·        Cervejas leves acompanham comidas leves, cervejas encorpadas, intensas e fortes combinam mais com comidas pesadas e gordurosas.

·        Quanto mais escura for a cerveja, mais escuro tem de ser o alimento. E isso se aplica até no caso das stouts doces e tostadas com chocolate.

·        Quanto maior o toque picante da comida, maior a lupulagem da cerveja.

·        Ao harmonizar tipos diferentes de petiscos e cervejas, é interessante começar pelos que têm sabor menos intenso para os mais intensos e dos mais secos aos mais doces.

Então, quais os melhores petiscos para combinar com cervejas artesanais?

Considerando os dados acima e adicionando alguns fatores, como a tradição histórica daquela bebida, é possível fazer algumas combinações que aumentarão a qualidade da sua experiência: 

·        Lagers: As tão populares e estimadas pelos brasileiros, especialmente a Pilsen, são cervejas de baixa fermentação, têm sabores menos complexos, mais suaves, carbonatação média e são bastante refrescantes, ideais para serem consumidas bem geladas. Combinam muito bem com petiscos que não causam um grande atrito de sabor, como amendoins, alguns frutos do mar, como o kani-kama, queijos bem suaves e úmidos e frituras de bar que não tenham sabor forte, como pastéis e croquetes.

·        Witbier: Clássicas belgas de trigo, as Witbiers contém um sabor bastante frutado e condimentado, uma cerveja bastante complexa. Suas propriedades lembram muito o sabor umami, tão tradicional na cultura oriental. Sushi, polvo, salmão cru são boas pedidas, também cai bem com saladas de folhas bem verdes e mais amargas, tanto cruas quanto fritas com ou sem frutos do mar no tempurá.

·        Indian Pale Ale: As IPAs são cervejas reverenciadas pelo seu amargor único. Sua lupulagem ajuda a limpar a gordura do paladar, além de contrastarem perfeitamente com comidas muito picantes.
Comida mexicana é uma ótima ideia, chilli, guacamole, tiras de carne mais gordurosas, assim como costelinhas e toicinhos. Junto de uma boa IPA, as carnes gordurosas não se tornam incômodas ou enjoativas.

·        Weiss: As cervejas alemãs de trigo são as maiores coringas da harmonização. São ácidas, densas, bem carbonatadas, enfim, possuem muitas propriedades interessantes que podem agregar com diversos petiscos da comida japonesa, até a mexicana, por contrastar a densidade e acidez com as pimentas. Combinam com saladas, queijos, massas pesadas e recheadas e com a comida tradicional de botecos.

·        Golden Ale: Cerveja elaborada com maltes claros e lúpulos florais, apesar da complexidade de sua composição, é uma bebida delicada. Por isso, pede também alimentos delicados, como petiscos de peixe, massas com molho à base de fruta, como bruschettas, ou outras massas com molho branco.

·        Kölsch: De aroma leve e ligeiramente frutado, as tradicionais Kölsch são muito bem aproveitadas junto de salgadinhos à base de milho, batata rústica ou a clássica batata frita e iguarias com ovos, ovinhos de codorna e azeitonas.

·        Amber Lager: Cervejas tostadas como essas combinam bem com castanhas, pistache, amendoim e carnes com aspecto tostado, como costelas, bacon, calabresa com cebola frita. As amber lagers são muito versáteis com carnes embutidas e sementes tostadas, além de caírem bem com pratos com bastante queijo, como uma pizza de pepperoni ou salgados de boteco recheados.

·        Stouts: As Stouts podem variar entra as adocidadas e as mais secas, uma das suas principais propriedades é a presença tostada que sempre fica ao funda e harmoniza muito bem com chocolates, sejam eles doces ou amargos, a mistura dos sabores tem uma grande duração juntos. Afinal, quase tudo a base de chocolate fica interessante. Queijos intensos também são contemplados pelas Stouts. Alimentos tostados, como os grelhados também são uma ótima pedida!

·        Strong Ale: As Strong ales também são divididas em categorias, mas, em geral, são cervejas com teores alcoólicos bem altos e uma grande complexidade de sabor.
As Golden ales, combinam com alimentos suaves com condimentações fortes, como carnes brancas apimentadas e massas com molhos mais ácidos.
Já as Dark Ales, caem melhor com o sabor defumado dos bacons e calabresas.

 Vale muito a pena buscar a harmonização entre cervejas e petiscos. Você pode ter grandes experiências ao experimentar combinações relativamente simples e fazer seu próprio roteiro de degustação.

Na loja online Vinho e Cerveja em Casa você encontra mais uma série de postagens, repletas de informações importantes e curiosas, que envolve o mundo das cervejas artesanais. Basta assinar a newsletter da página e receber tudo em primeira mão no seu e-mail e navegador!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *